terça-feira, março 11, 2008
 
:: Madrinha

O maior presente na vida de uma grávida de primeira viagem é outra grávida. De preferência um tantinho adiantada na gravidez. Uma que esteja sempre um passo à frente, e disposta a entregar o mapa da mina.

A Tainah é uma aquisição recente na minha vida. Sabe a família que vem de brinde com o casamento? Então. A minha família-brinde é incrível e ainda veio com a Tatá, gravidíssima na época e generosíssima sempre. Tecnicamente ela devia ser minha sobrinha, mas é um pouco humilhante pra mim chamar de sobrinha um mulherão daqueles, quase da minha idade e bem maior do que eu. Então ela ficou sendo prima. E, de quebra, madrinha de gravidez. Com quase 6 meses de vantagem, ela me entrega todo o serviço. Entregou na gravidez e continua entregando agora, com as experiências que acumula com a deliciosa Nina, filhota dela. O triste é que elas moram no Rio, então o contato não é tão freqüente quanto eu gostaria. Mesmo assim, ela fez TODA a diferença na minha gravidez e nesses primeiros meses como mãe.

A Tainah me deu o livro salva-vidas das grávidas. Ela sabe quais brinquedos fazem sucesso com bebês, e por idade. Me ensinou a lidar com engasgos. Emprestou a bombinha de tirar leite. Salvou a amamentação da Alice, me dizendo o que fazer quando o bebê ameaça largar o peito.

E o mais importante de tudo: ela me tranqüilizou. Ver o prazer que ela tem em ser mãe me acalmou muito no final da gravidez. Porque eu vi que é possível ser mãe e continuar “igual”, no bom sentido. A Tainah é uma menina novinha, moderna, baladeira, cervejeira. E que não perdeu o jeito de garota com a maternidade. Não vi nela, em nenhum momento, aquela coisa de mãe chata, careta, culpada ou sofredora. E mesmo assim é completamente mãezona, ver ela e a Nina juntas é das coisas mais lindas do mundo. E o que é a Nina, meu Deus? Nina tem o mais incrível repertório de truques, trejeitos e fofices que eu já vi numa criança. Eu fico só olhando e torcendo pra Alice ficar adorável e bem-humorada feito ela.

(E como se não bastasse, ainda tem o seguinte: a Tatá é figurinista. O que torna a Nina a criança mais descolada e bem vestida do Leblon e a Alice, herdeira de estilo. Sacolas com roupas incríveis chegam por sedex de tempos em tempos. Até hoje não precisei comprar roupa pra Alice, graças às doações da Tainah...)





Enfim, essa falação toda é pra agradecer, muito e sempre, à Tainah. E pra desejar feliz aniversário (com um tantinho de atraso, como é do meu feitio) pra Nina, que acaba de fazer um ano – com direito a passinhos e dentinhos novos! Ficamos tristes de não termos podido ir pro Rio dar um beijo nessas bochechas, então vai mais um beijão virtual por aqui... Parabéns, princesa!







(Por fim: você, leitora que quer engravidar, trate de arrumar uma madrinha de gravidez agora, já! E para as minhas amigas de saco cheio da minha campanha "Engravide em 2008": tem alguém aqui doida pra amadrinhar alguém. Fica a dica.)