terça-feira, janeiro 08, 2008
 
Férias no Rio.

Veio a Susi pra mim e disse: você é Zanotto, né? Eu li alguma coisa no jornal sobre um Zanotto dia desses, que que era mesmo?

Aí o Jorge: também li, saiu n'O Globo faz uns 2 dias. Acho que era um Zanotto italiano, não um brasileiro. Também não lembro, mas não era coisa boa não.

E a Susi: Não. Coisa boa não era.

Medinho. Que será que que a Zanottada anda aprontando por aí?

Aí esqueci a história e certo dia me cai uma edição do Globo nas mãos. E leio sobre o assalto à Helena Ranaldi e o assalto ao Paulinho da Viola e os tiros que tomou o filho daquele médico lá e os mil assaltos no Alto da Boa Vista (o Cotidiano do Rio é mais mundo cão que o de São Paulo, cruzes!), e aí vêm as notícias sobre o réveillon e eu descubro que Giancarlo Zanotto foi o cara que adiantou em mais de um minuto o início da queima dos fogos em Copacabana. "Não me deram cronômetro, então fui pelo meu relógio de pulso", ele disse.

Quero deixar registrado que não conheço esse senhor, ok? Nem eu, nem meu pai, nem meu avô, nem meu biso e nem ninguém, até nossa oitava geração.