quinta-feira, novembro 08, 2007
 
:: Baby Fat

Deixando a modéstia um pouco de lado: eu era uma grávida-espetáculo. Sério mesmo. Poucas vezes eu me senti tão gostosa na vida. Gostosa, macia e cheirosa. E paparicadíssima, ainda por cima. Voltar ao normal já seria difícil. Que dizer então de voltar nesse estado tão... pós-parto?

Passado aquele triste espetáculo do pós-parto imediato, com todas as dores e olheiras e cheiro de leite azedo, sobraram a barriga e 5kg a mais.

Os 5kg são administráveis e devem ir embora assim que eu me convencer que não devo mais comer como uma grávida louca, o que deve acontecer depois do Reveillon - porque antes disso eu me recuso. Regime no Natal? Sem chance. Aproveitarei a desculpa estou amamentando para me jogar na ceia e a desculpa pari há pouco (4 meses = pouco???) para dourar minhas carnes excedentes nas areias do Rio sem nenhum pudor.

A barriga é que complica. Porque não é só uma questão de gordura. O problema são os músculos, que esticam horrores na gravidez e ficam molegos quando o barrigão vai embora. Então você tenta fazer um mísero abdominal e acha dificílimo, os músculos tremendo como se nunca tivessem sido usados na vida. Resultado: barriga de borracha. Que é feia e causa risos debochados nos mais íntimos, mas por outro lado é ótima de apertar, como aquelas bolinhas que as pessoas apertam pra relaxar, sabe? Várias noites dormi embalada por mim mesma só beliscando a pancinha, tóim-tóim. Uma delícia.

Foi divertido, mas agora chega. Um Projeto Verão se faz necessário.

Ou eu desencano e trato de encomendar o segundo herdeiro logo, aproveitando o corpinho já adaptado. Porque emagrecer 5 kg e conquistar uma barriga respeitável pra engravidar logo depois não dá.

Comentário do Carlos diante desse meu comentário: "Então você quer engravidar por preguiça de emagrecer. Sua cara mesmo."

Pior que é.