domingo, outubro 10, 2004
 
:: paralamas do sucesso

das bandas do brock80, os paralamas do sucesso foi aquela que tive menos afinidade. conhecia só os sucessos - que não eram poucos, é verdade. quando realizava um documentário sobre as bandas de brasilia dos anos 80, comecei a prestar atenção melhor a essa banda e esse comecei a ouvir com mais atenção a sua discografia.

sempre achei meio estranho a mistura que os paralamas faz dos vários ritmos, em especial os latinos. acho que minha cabeça não estava preparada para isso, apesar de soar tão bem. lembro-me por acaso da minha professora de língua portuguesa no colegial comentando as letras. dizia ela: ele não é nenhum estúpido, muito pelo contrário.

há dois 3 álbuns que tem prendido os meus ouvidos: severino, 9 luas e hey na na. feitos em épocas diferentes e diferentes entre si, esses discos são da melhor qualidade. o severino dentro da discografia da banda é um experimento. com timbres brasileiros (viola, percursão), letras interessantíssimas e uma arte grotesca, o disco começa com "não me estrague o dia" e o forte refrão "nada justifica essa dor", passa pelo repente erudito na voz de tom zé em "navegar impreciso" para deságuar no "vamô batê lata" que também se tornou o nome do disco posterior "ao vivo" pela energia. depois temos 3 músicas poderosas: a minimalista "dos magaritas" com seu ritmo linear e sua letra escrachada "se eu nunca quisesse quem nunca me quis/ tudo isso me faria feliz"; o rio severino, uma canção com timbre nordestino em que a guitarra distorcida entra como um grito de indignação e a estranha "cagaço".

9 luas possui muitos sucessos, mas quero que atente a belíssima "caroço da cabeça", feita em parceria com o ex-titã nando reis. já hey nana é um dos discos injustiçados dos paralamas. talvez pela pressa em que foi lançado ou pela ofuscação do disco ao vivo anterior que vendeu muito. em hey na na além da podera canção título "depois da queda o coice", temos a sacada "brasília", a desesperada "scream poetry" a moderna "o trem da juventude" e a belíssima "santorini blues". fora os hits "ela disse adeus" e "o amor não sabe esperar".

fica como dica para quem quiser ouvir mais dessa importante banda da história musical brasileira. infelizmente, não gostei muito do último "um longo caminho" apesar de canções como "seguindo estrelas". mas recuperado, espero ansioso pelo novos trabalhos.