sexta-feira, outubro 24, 2003
 
:: Um momento singelo

Eu ia sentadinha no fundo do Vila Ida, cantando feliz com aquela voz quase inexistente de quem canta em ônibus cheio, quando entra uma senhorinha bem velhinha. Levantei e dei meu lugar pra ela, ficando de costas, perto da porta - eu ia descer logo. Mas aí ela ficou toda preocupada porque eu tinha ficado de pé, e ficava puxando minha blusa pra baixo, pra cobrir o pedaço das costas que tava aparecendo. Sensacional, percebem a poesia da coisa: uma velhinha que nunca tinha me visto na vida estava zelando pelo meu cofrinho!!!

Das duas uma: ou toda velhinha assume heroicamente a missão de esconder cofrinhos alheios ou a minha avó, que de algum lugar ainda esta olhando por mim, anda agindo pelas mãos de outras vovozinhas por aí...