domingo, maio 11, 2003
 
::Dia das Mães
(ao som de The Staples Singers)

Uma das maiores sacanagens da minha mãe é fazer aniversário no dia das mães. O fato de eu não ter dinheiro (nem paciência, nem idéias, nem iniciativa...) pra comprar presente torna-se duplamente vergonhoso.
Então eu resolvi que esse ano, pra variar, vou ser uma boa filha. Aí eu entro numa livraria e de cara, o que eu vejo? O livro novo do Rubem Fonseca, Diário de um Fescenino, que já me foi altamente recomendado pelo Fudge (eu queria linkar o blog dele aqui mas óbvio que não tenho a menor idéia de como se faz esse tipo de coisa). O problema é que estou querendo esse livro há algum tempo. EU estou querendo, que fique bem claro, minha mãe não liga tanto quanto eu pro Rubem Fonseca. Fiquei por alguns minutos cogitando a possibilidade de comprar, embrulhar bonitinho e dar pra ela, mas no fim das contas desisti, porque não dar nada me pareceu, apesar de menos inteligente, mais decente do que dar um presente interesseiro (eu sou mais decente do que inteligente, triste conclusão para um domingo à noite).
De qualquer forma, mamãe foi viajar antes do fatídico dia, ufa, ainda que me pareça uma forma de escapismo da parte dela (“melhor não ganhar nada por estar fora do que pelo fato dos meus filhos serem relapsos”) foi uma solução ótima. Quando ela voltar, semana que vem, o dia das mães e o aniversário já serão lembranças tão remotas que não vai fazer a menor diferença.

Pensando bem, aí eu bem que poderia surpreendê-la com um livro. Como não vai mais haver a cobrança da data, vai soar como um presente super espontâneo. E pode até ser Rubem Fonseca, porque presente fora de hora é assim, o que vier é lucro!