domingo, maio 23, 2004
 
:: Neologismos

Gosto dessa história das palavras. E outro dia estava muito concentrada ouvindo o novo disco do Carlos Careqa. O cara é muito fera. Compõe que é uma beleza. Neste último disco - Não Sou Filho de Ninguém - tem participações a parcerias que merecem atenção. Tem Zeca Baleiro, Itamar Assumpção, Chico César, Jards Macalé, Edson Cordeiro, Vânia Abreu... Coisa de altíssimo nível mesmo. Fora que tem Toninho Ferragutti em várias músicas. Tem mais. Tem Sylvio Mazzuca Junior no baixo. Arrasador. Agora, uma coisa muito bacana, que me deixou ainda mais atenta foi a abertura do encarte, escrita por Mário Bortolotto. Aí está um cara que eu acho fantástico no palco. Me lembrei de umas peças dele que fui assistir lá no Centro Cultural São Paulo, na mostra Cemitério de Automóveis. Uma turma de primeira. Coisa de louco. Fernanda Dumbra no elenco ajuda. Gosto desta moça. Enfim, Bortolotto diz no encarte do disco de Careqa: "...uma namorada que o havia penabundeado". Genial. Comprem o disco, não percam os shows e, atenção para as peças do Bortolotto também.