quarta-feira, setembro 03, 2003
 
:: Falta de tempo pouca é bobagem

(ao som de Sandra, do Gil)

Talvez a música do Deep Forest combinasse melhor com falta de tempo. Na esteira, corro com essa trilha, quando consigo.
Então, vivo um momento meio paradoxal. Não estou deixando passar nada de trabalho que pinta. Estou fazendo estágio na Cultura, que acaba em breve - peguei um freele da revista do Boa Mesa, estou dando duro com o Josimarm, mais os freelas da Brastemp e o novo trampo que peguei com crianças psicóticas - vou coordenar uma Oficina de Rádio, bacana, mas punk. Isso sem falar na PUC, no TCC, nos programas de rádio que faço na 9 de julho e na CBN... É aquela coisa do Drummond: enlou-cresça. Será? E daí, o que rola é que não consigo fazer tudo em 24 horas. E fico querendo que o dia tenha mais horas. Ao mesmo tempo, o processo é inverso: quero que o dia tenha menos horas pra tudo passar mais rápido e eu sair dessa correria. Enfim, na minha última sessão na terapia eu falei só da angústia que é não dar conta dos amigos. E como fico, desesperadamente, querendo compreensão. Acreditem, por favor, esse momento vai passar e vou, novamente, tratar cada pessoa querida com a atenção necessária - e merecida! Não é falta de amor, nem de assunto. É falta de tempo mesmo.