domingo, abril 06, 2003
 
:: Sexta à noite

(ao som de Blitz)

Tchanananannnnn!!! Acabei na festa da psico. Meninas, aviso, minha teoria furou. Vejam: festas da psicologia tinham tudo para ser uma fonte garantida de homens solteiros. Mas, não. Isso, definitivamente, não acontece(u)! Ok, ok. Mesmo assim, me diverti até as 4 da manhã. Putz! Dancei de tudo e, no som, estava uma amiga minha, ao lado, um cara amigo dela. Sabe que essa balada não me rendeu - concretamente - homens, mas, talvez, tenha me rendido mais uma amizade. Aí está. De repente começou um som imperdível. Fica a dica: Otis Redding. Cheguei de mansinho e fui conferir quem era o dono do disco. Resultado: o fulano manja muito de música. Comprou esse disco em uma viagem. Conversamos um tempo sobre. Contei a ele que meu pai era DJ quando jovem e o que ele mais gostava era Otis Redding. Depois, falamos sobre lojas de discos, falamos sobre a POP’S. Conclusão: devo perder as esperanças... Não vou achar esse disco aqui. A visão positiva disto é que peguei o telefone do sujeito e vamos nos falar. Ele ficou de me gravar o disco e eu já estou pensando em uma playlist pra agradecer. Depois conto os próximos capítulos.